Carreira, Discussões, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empreendedorismo maduro, empregos

Mais da metade dos aposentados brasileiros usam crédito online para pagar dívidas e empreender

download (4)Mais da metade dos aposentados do país pediu empréstimos online para pagar dívidas e manter as contas em dia. Esta é a conclusão doMapeamento Simplic do Crédito Online, que levou em conta a análise de mais de 28 mil empréstimos online concedidos no Brasil a essa parcela da população no primeiro semestre de 2017.

De acordo com o levantamento, mais de 53% dos aposentados que recorreram ao empréstimo na plataforma Simplic o fizeram para não ficar com o nome sujo. Quando somado a outras motivações, como pagamento de custos médicos, parcelas de carro ou casa e compras em geral, o percentual chega a mais de 78%.

“A realidade de muitos brasileiros não permite que o dinheiro ganho durante a vida seja poupado para uma aposentadoria tranquila. O que nosso levantamento mostra é que o crédito online tem se tornado cada vez mais uma alternativa relevante para os aposentados, que representam uma das parcelas da população mais atingidas pela difícil situação financeira do país. Esse cenário faz com que eles precisem recorrer a empréstimos, mesmo que de baixo valor, apenas para manter as contas em dia e não ficar com o nome sujo”, explica Bruno Borges, gerente de Marketing da Simplic.download (3)

Sul e sudeste apresentaram os índices mais altos de direcionamento dos empréstimos para pagamento de contas e outras dívidas, representando, respectivamente, 57,8% e 58,85% dos pedidos. Na divisão por estados, destaque para São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Crescimento dos aposentados empreendedores

Em um cenário recente marcado pelo aumento dos níveis de desemprego, também foi identificada uma crescente necessidade do aposentado de retornar à ativa para complementar ou gerar renda para sua família. De acordo com o Mapeamento Simplic do Crédito Online, o número de pedidos de empréstimo com a finalidade de empreender aumentou 16,7% nos seis primeiros meses do ano, se comparado com o mesmo período do ano passado. No total, foram feitas 2.168 solicitações de crédito em 2017 ante 1.857 no primeiro semestre do ano passado.

download (2)O estado de São Paulo é o líder do ranking de “aposentadosempreendedores”, representando dois de cada 10 pedidos feitos. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (15%), Bahia (7,2%), Minas Gerais (6,5%), e Pernambuco (6,4%).

O levantamento revelou ainda que as mulheres aposentadas são maioria entre os pedidos de empréstimos destinados ao desenvolvimento de novos negócios. Elas representam 61,20% de tais pedidos, sendo que 44,39% delas possuem ensino médio completo e 15,45% ensino superior.

Sobre o Simplic

Lançado em julho de 2014 no Brasil, o Simplic é a primeira plataforma de crédito pessoal 100% online do País. Inovadora, a ferramenta analisa dados do usuário advindos de mais de 200 fontes e é capaz de gerar uma resposta em menos de 3 segundos. Oferece empréstimos entre R$500 e R$3.500, que podem ser pagos em 3, 6, 9 ou 12 vezes, tudo de forma segura, prática e móvel. A plataforma analisa, hoje, mais de 6 mil solicitações de empréstimos por dia, somando mais de 1.5 milhão de clientes no Brasil.

Sobre a Enova

Fundada em 2003, a Enova evoluiu de uma startup de Chicago, nos Estados Unidos, para uma empresa global de soluções financeiras que atua em seis países: Austrália, Brasil, China, Canadá, Estados Unidos e Inglaterra. Em 2014, lançou IPO na bolsa de valores de Nova Iorque (NYSE:ENVA). Foi uma das primeiras fintechs criadas no mundo e pioneira também no Brasil com a plataforma Simplic. Com um portfólio focado em diferentes soluções de crédito online, soma mais de 4 milhões de clientes ao redor do mundo.

Fonte : Divulgação

Anúncios
Carreira, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empregos, Eventos

Empower Summit 2ª Edição discute a relação de diversidade e inovação com resultados

images (1)

“Inovação e diversidade caminham juntas e têm a ver com resultados”. Este será o tema de um dos painéis promovidos pelo Empower Summit, evento focado em inovação, tendências de mercado e provocação ao pensamento disruptivo, no dia 24 de outubro, em São Paulo. O evento é organizado pela Empodere-se, empresa de educação disruptiva, e voltado a empreendedores, gestores e líderes empresariais.download (1)

Muitos empreendedores e especialistas defendem que sem diversidade (igualdade de gêneros, cultural, étnica e social) não há inovação, que um ecossistema que reúne diferentes perfis, gerações e profissões funciona muito melhor em prol da resolução de problemas de grande impacto na sociedade.

images (2)Segundo o palestrante Ricardo Mota, Diretor Superintendente da ABRH, a soma de pensamentos diferentes pode enriquecer uma empresa e já percebe-se uma movimentação do mercado neste sentido, que ainda dele levar bastante tempo para amadurecer.

“Empresas que estão preocupadas com inovação precisam trazer de fora ideias novas, para sair da zona de conforto. É preciso mudar o mindset”, comenta Ingrid Barth, head of Corporate Banking da Neon. A executiva conta que o processo de inovação é totalmente baseado em ideias, e esse pool de ideias só consegue existir se tiver uma equipe diversa, com pensamentos diferentes, pois  sem diversidade de opinião não há discussão e não acontece a mudança.

Para Gabriel Coelho, CEO da Empodere-se, que desenvolve um trabalho de educação para a inovação dentro das empresas, muitas companhias querem falar sobre diversidade, no entanto, precisam entender que a cultura da companhia precisa mudar, e isso requer trabalho, tempo e investimento.download

Exemplo do Canadá – o presidente da CCBC (Câmara de Comércio Brasil Canadá), Paulo Perrotti, traz a experiência do país para construir uma sociedade mais igual. O Canadá tem sido um exemplo de como cada indivíduo pode manter a sua identidade e, ainda assim, ser parte do todo. “Nós precisamos da diversidade e isso é tratado no dia a dia. O primeiro ministro canadense tem o compromisso de construir um serviço público para servir de modelo de inclusão para todos”, diz Perrotti.

As inscrições devem ser feitas pelo site http://empoderese.com/empower-summit/ .

Fonte- Divulgação

Carreira, Discussões, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empregos, Eventos

Fórum Empreendedoras bate recorde de público.

images

Na última terça-feira, no Maksoud Plaza, em São Paulo foi realizada a sexta edição do Fórum Empreendedoras. O evento organizado pela Rede Mulher Empreendedora – RME, com o principal intuito de fortalecer o empreendedorismo feminino, fomentar negócios entre mulheres e oferecer capacitação e inspiração contou com 40 horas de programação simultânea e  mais de 1600 empreendedoras .

Nesse ano os destaques foram as palestras de personalidades como Paola Carosella, cozinheira e jurada do programa Masterchef da Band, que falou sobre inspiração e como é importante maneirar na auto cobrança; Chieko Aoki, presidente da rede de hotéis Blue Tree, que destacou a relevância do bom tratamento ao cliente e como isto pode fazer com que eles sejam recorrentes; Rachel Maia, CEO da Pandora Brazil, que encantou e inspirou o público com sua simpatia e simplicidade ao compartilhar sua trajetória; e, por fim, o painel “Acesso à tecnologia” que reuniu mulheres referência na área, como Camila Achutti, Iana Chan, Maitê Lourenço e Carine Ross, para desmistificar a presença da mulher na área tecnológica. Também fez parte da programação o anúncio dos resultados da pesquisa “Empreendedoras e seus negócios 2017”, que buscou traçar o perfil da empreendedora brasileira para dar base para a criação de iniciativas de fomento ao empreendedorismo feminino no Brasil. Com realização da Rede Mulher Empreendedora – RME e patrocínio da Sage, Avon e Facebook, os resultados serão transformados em um e-book que será disponibilizado de forma gratuita em breve.

Foi divulgada também a criação da W55, por Ana Fontes, fundadora da RME e Fernanda de Lima, presidente da Gradual Investimentos, uma aceleradora com o objetivo de capacitar, acelerar e financiar empresas lideradas por mulheres. Além disso, ao final de sua palestra Rachel Maia, CEO da Pandora Brazil, revelou o desenvolvimento de um projeto em parceria com a Rede Mulher Empreendedora que contará com a premiação de um mini processo de aceleração para as empreendedoras vencedora.

Com o tema principal “Empreendedorismo e o empoderamento econômico da mulher”, o evento trouxe palestras, painéis, workshops de Facebook para negócios e salas de capacitação e mentorias, sala que atendeu mais de 120 empreendedoras buscando auxílio em seus negócios. O Fórum também trouxe a sua tradicional “Feira de Negócios”, onde reuniu 30 expositores que puderam divulgar seus empreendimentos e comercializar seus produtos e também contou 10 estandes de cunho social para fomento do empreendedorismo nesta vertente.

Fonte – Rede Mulher Empreendedora