Carreira, Discussões, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empreendedorismo maduro, empregos

Mais da metade dos aposentados brasileiros usam crédito online para pagar dívidas e empreender

download (4)Mais da metade dos aposentados do país pediu empréstimos online para pagar dívidas e manter as contas em dia. Esta é a conclusão doMapeamento Simplic do Crédito Online, que levou em conta a análise de mais de 28 mil empréstimos online concedidos no Brasil a essa parcela da população no primeiro semestre de 2017.

De acordo com o levantamento, mais de 53% dos aposentados que recorreram ao empréstimo na plataforma Simplic o fizeram para não ficar com o nome sujo. Quando somado a outras motivações, como pagamento de custos médicos, parcelas de carro ou casa e compras em geral, o percentual chega a mais de 78%.

“A realidade de muitos brasileiros não permite que o dinheiro ganho durante a vida seja poupado para uma aposentadoria tranquila. O que nosso levantamento mostra é que o crédito online tem se tornado cada vez mais uma alternativa relevante para os aposentados, que representam uma das parcelas da população mais atingidas pela difícil situação financeira do país. Esse cenário faz com que eles precisem recorrer a empréstimos, mesmo que de baixo valor, apenas para manter as contas em dia e não ficar com o nome sujo”, explica Bruno Borges, gerente de Marketing da Simplic.download (3)

Sul e sudeste apresentaram os índices mais altos de direcionamento dos empréstimos para pagamento de contas e outras dívidas, representando, respectivamente, 57,8% e 58,85% dos pedidos. Na divisão por estados, destaque para São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Crescimento dos aposentados empreendedores

Em um cenário recente marcado pelo aumento dos níveis de desemprego, também foi identificada uma crescente necessidade do aposentado de retornar à ativa para complementar ou gerar renda para sua família. De acordo com o Mapeamento Simplic do Crédito Online, o número de pedidos de empréstimo com a finalidade de empreender aumentou 16,7% nos seis primeiros meses do ano, se comparado com o mesmo período do ano passado. No total, foram feitas 2.168 solicitações de crédito em 2017 ante 1.857 no primeiro semestre do ano passado.

download (2)O estado de São Paulo é o líder do ranking de “aposentadosempreendedores”, representando dois de cada 10 pedidos feitos. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (15%), Bahia (7,2%), Minas Gerais (6,5%), e Pernambuco (6,4%).

O levantamento revelou ainda que as mulheres aposentadas são maioria entre os pedidos de empréstimos destinados ao desenvolvimento de novos negócios. Elas representam 61,20% de tais pedidos, sendo que 44,39% delas possuem ensino médio completo e 15,45% ensino superior.

Sobre o Simplic

Lançado em julho de 2014 no Brasil, o Simplic é a primeira plataforma de crédito pessoal 100% online do País. Inovadora, a ferramenta analisa dados do usuário advindos de mais de 200 fontes e é capaz de gerar uma resposta em menos de 3 segundos. Oferece empréstimos entre R$500 e R$3.500, que podem ser pagos em 3, 6, 9 ou 12 vezes, tudo de forma segura, prática e móvel. A plataforma analisa, hoje, mais de 6 mil solicitações de empréstimos por dia, somando mais de 1.5 milhão de clientes no Brasil.

Sobre a Enova

Fundada em 2003, a Enova evoluiu de uma startup de Chicago, nos Estados Unidos, para uma empresa global de soluções financeiras que atua em seis países: Austrália, Brasil, China, Canadá, Estados Unidos e Inglaterra. Em 2014, lançou IPO na bolsa de valores de Nova Iorque (NYSE:ENVA). Foi uma das primeiras fintechs criadas no mundo e pioneira também no Brasil com a plataforma Simplic. Com um portfólio focado em diferentes soluções de crédito online, soma mais de 4 milhões de clientes ao redor do mundo.

Fonte : Divulgação

Anúncios
Carreira, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empregos, Eventos

Empower Summit 2ª Edição discute a relação de diversidade e inovação com resultados

images (1)

“Inovação e diversidade caminham juntas e têm a ver com resultados”. Este será o tema de um dos painéis promovidos pelo Empower Summit, evento focado em inovação, tendências de mercado e provocação ao pensamento disruptivo, no dia 24 de outubro, em São Paulo. O evento é organizado pela Empodere-se, empresa de educação disruptiva, e voltado a empreendedores, gestores e líderes empresariais.download (1)

Muitos empreendedores e especialistas defendem que sem diversidade (igualdade de gêneros, cultural, étnica e social) não há inovação, que um ecossistema que reúne diferentes perfis, gerações e profissões funciona muito melhor em prol da resolução de problemas de grande impacto na sociedade.

images (2)Segundo o palestrante Ricardo Mota, Diretor Superintendente da ABRH, a soma de pensamentos diferentes pode enriquecer uma empresa e já percebe-se uma movimentação do mercado neste sentido, que ainda dele levar bastante tempo para amadurecer.

“Empresas que estão preocupadas com inovação precisam trazer de fora ideias novas, para sair da zona de conforto. É preciso mudar o mindset”, comenta Ingrid Barth, head of Corporate Banking da Neon. A executiva conta que o processo de inovação é totalmente baseado em ideias, e esse pool de ideias só consegue existir se tiver uma equipe diversa, com pensamentos diferentes, pois  sem diversidade de opinião não há discussão e não acontece a mudança.

Para Gabriel Coelho, CEO da Empodere-se, que desenvolve um trabalho de educação para a inovação dentro das empresas, muitas companhias querem falar sobre diversidade, no entanto, precisam entender que a cultura da companhia precisa mudar, e isso requer trabalho, tempo e investimento.download

Exemplo do Canadá – o presidente da CCBC (Câmara de Comércio Brasil Canadá), Paulo Perrotti, traz a experiência do país para construir uma sociedade mais igual. O Canadá tem sido um exemplo de como cada indivíduo pode manter a sua identidade e, ainda assim, ser parte do todo. “Nós precisamos da diversidade e isso é tratado no dia a dia. O primeiro ministro canadense tem o compromisso de construir um serviço público para servir de modelo de inclusão para todos”, diz Perrotti.

As inscrições devem ser feitas pelo site http://empoderese.com/empower-summit/ .

Fonte- Divulgação

Carreira, Discussões, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empregos, Eventos

Fórum Empreendedoras bate recorde de público.

images

Na última terça-feira, no Maksoud Plaza, em São Paulo foi realizada a sexta edição do Fórum Empreendedoras. O evento organizado pela Rede Mulher Empreendedora – RME, com o principal intuito de fortalecer o empreendedorismo feminino, fomentar negócios entre mulheres e oferecer capacitação e inspiração contou com 40 horas de programação simultânea e  mais de 1600 empreendedoras .

Nesse ano os destaques foram as palestras de personalidades como Paola Carosella, cozinheira e jurada do programa Masterchef da Band, que falou sobre inspiração e como é importante maneirar na auto cobrança; Chieko Aoki, presidente da rede de hotéis Blue Tree, que destacou a relevância do bom tratamento ao cliente e como isto pode fazer com que eles sejam recorrentes; Rachel Maia, CEO da Pandora Brazil, que encantou e inspirou o público com sua simpatia e simplicidade ao compartilhar sua trajetória; e, por fim, o painel “Acesso à tecnologia” que reuniu mulheres referência na área, como Camila Achutti, Iana Chan, Maitê Lourenço e Carine Ross, para desmistificar a presença da mulher na área tecnológica. Também fez parte da programação o anúncio dos resultados da pesquisa “Empreendedoras e seus negócios 2017”, que buscou traçar o perfil da empreendedora brasileira para dar base para a criação de iniciativas de fomento ao empreendedorismo feminino no Brasil. Com realização da Rede Mulher Empreendedora – RME e patrocínio da Sage, Avon e Facebook, os resultados serão transformados em um e-book que será disponibilizado de forma gratuita em breve.

Foi divulgada também a criação da W55, por Ana Fontes, fundadora da RME e Fernanda de Lima, presidente da Gradual Investimentos, uma aceleradora com o objetivo de capacitar, acelerar e financiar empresas lideradas por mulheres. Além disso, ao final de sua palestra Rachel Maia, CEO da Pandora Brazil, revelou o desenvolvimento de um projeto em parceria com a Rede Mulher Empreendedora que contará com a premiação de um mini processo de aceleração para as empreendedoras vencedora.

Com o tema principal “Empreendedorismo e o empoderamento econômico da mulher”, o evento trouxe palestras, painéis, workshops de Facebook para negócios e salas de capacitação e mentorias, sala que atendeu mais de 120 empreendedoras buscando auxílio em seus negócios. O Fórum também trouxe a sua tradicional “Feira de Negócios”, onde reuniu 30 expositores que puderam divulgar seus empreendimentos e comercializar seus produtos e também contou 10 estandes de cunho social para fomento do empreendedorismo nesta vertente.

Fonte – Rede Mulher Empreendedora

Carreira, Discussões, Economia criativa, Plataformas, Empreendedorismo femininno, empreendedorismo maduro, Entrevistas, Eventos

3º International Happiness Forum no Brasil

19756560_1885370395056805_478553886325351176_n

 

O Brasil foi escolhido para sediar a terceira edição do International Happiness Forum, marcado para acontecer em São Paulo, nos os dias 2 e 3 de setembro. Criado em Portugal por Eduarda Oliveira, a primeira edição do evento teve apoio de uma das instituições de ensino universitário mais antigas da Europa, a Universidade de Coimbra, e tem como missão promover o diálogo entre as diferentes áreas do saber e a divulgação de ferramentas, técnicas e conhecimentos para uma vida mais feliz. Entre as instituições que apoiam esta edição do International Happiness Forum no Brasil está o Consulado Geral de Portugal em São Paulo.

Durante os dois dias do evento palestrantes do Brasil, Portugal, Irlanda, China, Japão, Canadá e Uruguai irão abordar temas que apontam perspectivas sobre a felicidade e o bem-estar a partir de diferentes áreas do saber como: psicologia, pedagogia, neurociências, mindfulness, medicina, economia colaborativa, turismo de desenvolvimento pessoal, empreendedorismo social, astrologia, ciências da educação, antropologia, numerologia, yoga do riso, danças circulares etc.

Baseado em um modelo de gestão colaborativa o 3o International Happiness Forum tem como objetivo abrir-se ao maior número de pessoas, proporcionando uma experiência inspiradora e transformadora, oferecendo a elas ferramentas e meios para alcançarem mais felicidade e bem-estar. Os participantes encontrarão Palestras e Mesas de Debate, Workshops Indoor e Outdoor, Expo-Felicidade, Livraria Temática e Alimentação Saudável.

Quatro temas orientadores irão nortear o evento: Eu comigo mesmo; Eu nas relações; Eu nas Organizações e Eu no meio ambiente.

Por esta edição passarão Judy McAllister, canadense que há 30 anos vive na Comunidade de  Findhorn, ecovila sustentável na Escócia, tendo sido a primeira mulher a ocupar o cargo de Coordenação Geral da Comunidade; Stephen Little, irlandês especialista em Atenção Plena (Mindfulness) e diretor no Brasil da The School of Life; Chieko Aoki, formada em Direito pela USP com cursos de Administração em Tóquio e nos Estados Unidos, foi a responsável pela criação no Brasil da rede hoteleira Blue Tree, depois de ter trabalhado em países como Estados Unidos, Ásia e Europa; Rosário Pinheiro, doutora em Ciências da Educação e professora auxiliar na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra; Maria Lucia Lee, formada em Física pela Unicamp há quase 40 anos dedica-se ao estudo e ensino da Medicina Tradicional Chinesa; Zaquie Meredith, pioneira no Brasil em Constelações Familiares.

No painel de jovens transformadores teremos Bruno Capão, que após passar pela Fundação Casa e trabalhar como coletor de lixo, formou-se na USP e criou a “Sustenta CaPão” que está mudando um dos bairros mais violentos da cidade. O neurologista especialista em Medicina Antroposófica Ricardo Almeida Leme falando sobre a neuroquímica da felicidade; Patricia Gebrim, psicóloga autora de livros como “Palavra de criança” e “Gente que mora dentro da gente”; Plinio Cutait, mestre de Reiki Coordenador do Núcleo de Cuidados Integrativos do Hospital Sírio Libanês, entre outros nomes.

19732320_1885371398390038_1632098879439832291_n

A cada edição o International Happiness Forum seleciona uma organização que promova felicidade e bem-estar, para onde destina parte do valor arrecadado com as inscrições. No Brasil foi escolhido o projeto Velho Amigo, coordenado por Regina Moraes, que tem como missão contribuir para a cultura de inclusão do idoso, assegurando seus direitos e valorizando sua participação na sociedade.

19756560_1885370395056805_478553886325351176_nA busca pela realização do International Happiness Forum no Brasil partiu da iniciativa de três profissionais de diferentes áreas: Jamile Coelho, educadora e criadora do Perfil Cognitivo, ferramenta que explora as diferentes inteligências e formas de aprendizado; Ana Lúcia Paíga, psicóloga especialista em Análise Transacional, coach pelo Instituto EcoSocial e Nivea Ferradosa, experiente profissional da área de Marketing e Comunicação.

Fonte: Divulgação

 

 

Carreira, Empreendedorismo femininno

Momento Empreendedora com Sueli Kobayashi

 IMG_0401 (1)
Terapeuta Transpessoal, com várias formações e especializações,  entre elas:
– EFT-Emotional Freedom Techniques também conhecida como Acupuntura Emocional Sem Agulhas.
Limpa a emoção negativa, negatividades ou outros com uma limpeza feita com leves toques das pontas dos dedos nos meridianos da acupuntura, trabalhando os canais energéticos que guardam as memórias de dor inconscientes. Com esse trabalho, acontece uma liberação das memórias e emoções e a possível cura na hora do tratamento.
– Cura Reconectiva
É uma frequência nova no planeta, realizada somente em no máximo 3 sessões, e, através das mãos, sem tocar no cliente, é acessada uma frequência de luz, energia e informação.
O objetivo é alcançar o equilíbrio mental, espiritual, emocional e físico.
Não é focada em um assunto, a frequência é inteligente, ela curará o que tem que ser curado.
– Reconexão
É a mesma frequência da cura reconectiva e acessada de uma forma diferente.
São realizadas em duas sessões. O objetivo é reconhecer e assumir o propósito de vida.

site: www.encontrodoser.com.br

Carreira, Entrevistas

Entrevista com Osmar Almeida, sócio da Oito Consultoria.

  12219334_10207689087455147_2220127014762037290_n

 

NM- Como surgiu a idéia de ser empreendedor?    

O sonho do brasileiro é ser empreendedor, e o meu também era, mas não tinha nunca tido a oportunidade de empreender em algo que realmente fizesse diferença pra mim.

Numa feira de negócios, que eu visitei em São Paulo, percebi que existiam oportunidades inovadoras: intermediação e articulação de negócios internacionais. Foi neste momento que entendi qual meu objetivo e meu propósito e criei minha empresa.

Hoje somos um escritório que gera leads e novos negócios para vários consulados..

NM – Como você identifica uma oportunidade?

Eu caço oportunidades todo os dias. Participo de eventos de negócios, converso o tempo todo com empresários e busco entender quais oportunidades e quais possibilidades estão surgindo.

Manter contato diário com clientes também é produtivo. Muitas vezes são os consulados que me sinalizam as oportunidades internacionais e me pedem indicações de empresas nacionais que queiram investir, vender ou apresentar algum tipo de serviço la fora.

NM-  Quando você considerou a possibilidade de abrir negócio como uma opção de vida?

Essa possibilidade já era um sonho, mas nada me encantava totalmente. Como eu disse, ao me deparar com a mistura de inovação e internacionalização de negócios, eu fiquei mexido. Neste momento, que também era um momento de mudança na minha vida pessoal, eu crie minha empresa.

 NM-  Como você se envolve com a rotina, com as operações do dia a dia?

Minha rotina é muito dinâmica. Estou online 90% do tempo, e uso todos os recursos para falar com meus clientes e parceiros. Adoro tecnologia e isso facilita e muito negócios globalizados e internacionais. Não tenho secretária e para baratear custos trabalho em casa e coworkings.

NM – Você tem parceiros?

Muitos. Para cada negócio, parceiros experts em seus segmentos. Afinal, eu seleciono, escolho e indico empresas nacionais para fazerem negócios fora do país. O grande segredo é ter bons parceiros.

NM – Fale um pouco do seu trabalho atual.

Meu trabalho consiste em mapear, filtrar oportunidades e realizar contratos de parcerias para projetos específicos.

 

 

 

 

Carreira, Empreendedorismo femininno, Entrevistas

Márcia Mocelin Manfrin e o nascimento e desenvolvimento da Apetit Serviços de Alimentação

 

marcia 2.jpg

No início de 1989, Márcia Mocelin Manfrin abriu em Londrina um pequeno restaurante que servia prato feito. Dois meses depois, uma indústria da cidade solicitou o fornecimento de 13 marmitas, pois a cozinha do restaurante interno estava em reforma. Márcia logo se prontificou em atendê-la, e teve a ideia de montar uma empresa de prestação de serviços de alimentação. O objetivo era atender as pequenas empresas de Londrina e seus funcionários. Na época, um mercado carente desse tipo de serviço. Foi assim que surgiu a Apetit Serviços de Alimentação, em julho de 1989.

Márcia não tinha muita expertise no segmento, teve de aprender sobre o segmento de alimentação com o próprio negócio já em operação. No início, desempenhava várias funções ao mesmo tempo: comprava os alimentos, negociava com os clientes e fornecedores, coordenava e entregava as refeições na Kombi que comprou para esta finalidade. Havia uma colaboradora somente, a Dona Tereza, que trabalhou na Apetit desde 1989 até se aposentar, em 2010.  Enquanto trabalhava, os dois filhos pequenos de Márcia a acompanhavam na cozinha, mesmo assim, ela nunca deixou de se capacitar: estudou, correu atrás das exigências próprias do ramo e consegui montar a primeira cozinha industrial, que contava com um fogão, poucas panelas e muita vontade. Hoje, seus dois filhos também trabalham na Apetit, por amor ao negócio da famí ;lia.

Em 1996, a Apetit se tornou líder do segmento de refeições transportadas em Londrina e o negócio foi mudando: ao invés de entregar as marmitas nas empresas, passaram a oferecer o serviço de administração de restaurantes corporativos, primeiro no estado do Paraná e, posteriormente, em outros estados. Hoje atuam em 11 estados, atendendo 180 restaurantes, servindo mais de 100 mil refeições por dia e com um quadro de aproximadamente 2000 mil colaboradores, entre cozinheiros, nutricionistas e gerentes nos setores de marketing, operações, comercial, planejamento e recursos humanos. A Apetit faturou, no último ano, R$ 120 milhões e estima crescer 30% em regiões estratégicas.

O diferencial da Apetit é oferecer serviços com um padrão superior, diferente do tradicional “bandejão” dos refeitórios industriais. A empresa une alimentação de alta qualidade e ambientes sofisticados e acolhedores, oferecendo uma experiência diferenciada aos clientes consumidores, ao montar restaurantes com opções diversificadas de cardápios e qualidade de vida. No começo atendiam empresas menores, com menos colaboradores e sem estrutura de restaurante. Hoje, as empresas que atendem são, em sua maioria, indústrias que possuem cozinha industrial, restaurante e uma grande quantidade de colaboradores.

Márcia, mulher de sucesso que incentiva o empoderamento das mulheres no mercado de trabalho

A Apetit possui um quadro de colaboradores 90% composto por mulheres, sendo 93% dos cargos de liderança ocupados por mulheres. Por isso, incorporam e desenvolvem diversas práticas que têm como objetivo atender às necessidades das nossas colaboradoras, estimulando o crescimento pessoal e profissional.

Apetit recebeu o Prêmio WEPs Brasil, o prêmio é uma inciativa que visa promover a cultura da igualdade de gêneros entre as empresas brasileiras, com base nos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, do inglês Women’s Empowerment Principles). A premiação se deu por conta das boas práticas de gestão, que visam a promoção da autonomia do ser humano como um pré-requisito para se alcançar o desenvolvimento sustentável da empresa. No mesmo ano, também se tornaram signatários do WEPs mundial, promovido pela ONU. Esta distinção foi dada a somente 58 empresas brasileiras e a Apetit é a única do setor de refeições coletivas.

 

Apetit – Uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil

A cultura organizacional, os valores éticos, a transparência, o cuidado e respeito pelas pessoas são os princípios que norteiam todas as ações da Apetit. O investimento nas práticas e benefícios foi reconhecido pela pesquisa conduzida pelo Instituto Great Place to Work, feita com os próprios colaboradores da empresa. A pesquisa premia as melhores empresas para trabalhar no Brasil e reconheceu a Apetit pelo 4º ano consecutivo. A empresa é a única do setor de administração de restaurantes corporativos a receber o prêmio, ocupando a 28ª colocação no ranking geral.

 

Universidade Apetit

Em 2013, com investimento de R$ 1.300.000,00, foi criada a Universidade Corporativa Apetit, a UNIAP. A ideia é que todos os colaboradores (sejam administrativos, operacionais ou lideranças) participem de algum programa de desenvolvimento. Por ter colaboradores espalhados por 12 estados, foram pensadas em aulas presenciais e à distância. Dessa forma, toda a equipe é envolvida. O objetivo da UNIAP é capacitar e desenvolver os colaboradores da Apetit para que alcancem o crescimento que a empresa projeta e com a excelência de seus serviços. Há cursos voltados para o desenvolvimento profissional e comportamental da equipe.

Apetit e seus programas de responsabilidade social

O Instituto Apetit de Educação conta com diversos programas sociais que proporcionam o desenvolvimento profissional e comportamental dos colaboradores, visando a qualidade de vida no ambiente de trabalho. Os programas foram idealizados para atender os colaboradores da Apetit e a comunidade onde a empresa está inserida. São eles:

Mamãe Apetit

O Programa Mamãe Apetit visa orientar e acompanhar as futuras mamães colaboradoras da empresa para uma gestação saudável e responsável. Cartilhas e folhetos levam às gestantes informações, orientação nutricional e dicas que vão do pré-natal ao aleitamento, além dos cuidados com o bebê. Assim, através de monitoramento de assistentes sociais e de material informativo, o Instituto está presente durante toda a gravidez. Desde o início do projeto em 2006, o Instituto Apetit já beneficiou 230 mulheres, garantindo a saúde da mãe e do bebê.

Integrar

Este programa tem como objetivo oferecer oportunidades de emprego às pessoas portadoras de necessidades especiais que estejam interessadas em integrar-se ao mercado de trabalho.

 

Divulgação