Empreendedorismo femininno

Evento de empreendedorismo feminino ensina como transformar ideias em negócios

22829491_1319909608136983_5802099909995867625_o

Ter um negócio próprio e conquistar sucesso profissional e independência financeira. Este é o sonho de muita gente no Brasil. Mas o que algumas dessas pessoas não sabem é como transformar uma boa ideia em um negócio sólido e perene ou como dar amplitude a um projeto já existente. Pelo menos no universo feminino, esses têm sido temas recorrentes. A consultora em Gestão de Projetos e Negócios Kênia Gama, 33, de Brasília (DF), começou a empreender aos 18 anos. Apesar das dificuldades que permeiam a pouca idade, não tardou para que conquistasse uma posição de destaque no mercado. Em 2002, já comandava sua própria empresa, a SET Realizações, especializada na gestão de eventos. Segundo ela, há pelo menos seis passos essenciais que devem ser seguidos por mulheres que desejam tirar uma ideia do papel e apostar no empreendedorismo. São eles:

1. Fazer o que gosta;

2. Saber tudo sobre o assunto;

3. Não procurar aprovações de terceiros;

4. Celebrar até as menores conquistas;

5. Analisar a concorrência;

6. Não ter vários focos, e sim, confiar em seu plano,  até conseguir executá-lo.

“Uma empreendedora precisa saber se reinventar e, mais do que qualquer outra pessoa, acreditar que tem potencial para conquistar a independência financeira e emocional”, diz Kênia.  Dados de mercado dão conta que as mulheres estão presentes na administração de 51% das empresas brasileiras, além de fazerem parte do quadro societário de 20% das corporações.  Nos últimos 14 anos, o número de empresárias subiu 34%, e hoje é de quase 8 milhões.  Além disso, 43% dos cargos de direção e gerência em micro e pequenas empresas são ocupados por profissionais do sexo feminino.
Seja no papel de executiva, seja como empreendedora, a mulher também precisa investir
em seu marketing pessoal nessa busca pelo sucesso no mercado, segundo Kênia. “Promover-se adequadamente e fazer com que as pessoas notem o seu valor também são etapas primordiais a serem cumpridas por quem pretende se destacar profissionalmente”, continua ela. Foi pensando justamente na força da mulher e na relevância do empreendedorismo feminino que Kênia Gama criou o evento Mulher Brilhante, voltado a profissionais liberais, empresárias,
líderes corporativas e interessadas em geral, cujo objetivo é oferecer técnicas e ferramentas multidisciplinares a quem almeja alcançar a independência emocional e financeira. “Mulheres com autoestima mais forte, felizes no que fazem, serão melhores mulheres, mães, filhas, esposas e certamente vão impactar a sociedade”, afirma a jovem empreendedora braziliense.

Braço do programa online Mulher Brilhante, o evento aconteceu pela primeira vez em maio passado, na capital federal. Agora, será realizado nos dias 17 e 18 de novembro, das 9h às 20h, no auditório Elis Regina, no Anhembi, em São Paulo (SP).
Durante esses dois dias, será possível realizar uma completa imersão no tema, com dicas, networking, informação e conhecimento, com abordagem a aspectos pessoais e profissionais.

18342134_791951344293788_392951477540499824_n
O Mulher Brilhante terá palestras e workshops dos mais renomados especialistas do Brasil.
Entre eles, a influenciadora do mercado de beleza e bem-estar Cristiana Arcangeli, investidora do
reality show Shark Tank Brasil, e o especialista em Marketing Digital e escritor best-seller Conrado
Adolpho, autor de “Os 8Ps do Marketing Digital”.
Os ingressos estão à venda no site oficial do Mulher Brilhante, a partir de R$ 297. Mais
informações podem ser obtidas pelo e-mail contato@mulherbrilhante.com.br.
SERVIÇO
Mulher Brilhante – Evento de Empreendedorismo e Desenvolvimento Pessoal
QUANDO: 17 e 18 de novembro de 2017
HORÁRIO: 9h às 20h
ONDE: São Paulo (SP)
LOCAL: Auditório Elis Regina (Av. Olavo Fontoura, 1209, Santana)

Fonte : Divulgação

Anúncios
Empreendedorismo femininno

Conheça as vantagens e as desvantagens de trabalhar em casa

images (1)

Prática cada vez mais adotada pelas empresas, home office é uma boa alternativa para as companhias, considerando os cortes de custos fixos, e para os funcionários que ganham mais autonomia e trabalham com horários flexíveis. Segundo pesquisa realizada em 2016 pela Home Office Brasil, houve um aumento de 50% no número de empresas que adotaram a atividade, de 15% das que estão estudando a implantação e 28% na formalização da medida.

A Eureca!, consultoria especializada em conectar a energia jovem com o mundo trabalho, optou pelo home office a ter escritório tradicional. Todos os funcionários trabalham do local de preferência e, por isso, possuem colaboradores de diferentes cidades. A escolha foi pensada devido ao alto custo de aluguel nos grandes centros do Brasil. Outros motivos como qualidade de vida, trânsito e rotina cansativa são pesados na hora de adotar a prática . Além disso, muitas empresas também levam em consideração o acesso a talentos globais, que podem colaborar de qualquer lugar do mundo. “Com o Home Office, conseguimos atrair talentos até então impensáveis para nossa realidade e isso é muito positivo”, explica Fábio Procópio, CMO da Eureca!

Trabalhar-em-CasaAtualmente, com a tecnologia cada vez mais inserida no dia a dia dos brasileiros, é possível colaborar em tempo real com as empresas ao redor do mundo e entregar projetos de alta qualidade. Ao economizar com a estrutura física, pode-se investir recursos nas pessoas, tornando cada vez mais capazes e com as ferramentas certas para executar seu trabalho.

Apesar de não possibilitarem o trabalho exclusivamente em home office, muitas empresas estão adotando o meio termo, possibilitando os funcionários de escolherem trabalhar em casa em algum dia da semana. Esse é o caso da Octadesk, startup desenvolvedora de sistemas voltados para gestão de relacionamento com os clientes. “Nosso modelo de negócio é todo online, então, não há necessidade da presença física, o que possibilita um trabalho remoto. Às vezes, as pessoas têm necessidades e vale mais a pena elas fazerem o trabalho de casa, nós entendemos isso.”, diz Rodrigo Ricco, CEO da Octadesk.images (2)

Trabalhar em casa tem mais prós do que contras, porém é preciso estar atento a algumas desvantagens que podem aparecer no caminho, como a maturidade necessária para fazer seu próprio horário e administrar o tempo corretamente. O trabalho em equipe também pode ser prejudicado, pois o tempo de resposta e a resolução de conflitos entre o time demandam mais tempo. “Caso a empresa não seja capaz de criar um bom ambiente de colaboração virtual e cobrança mútua, o home office torna-se uma opção possivelmente prejudicial”, complementa Fábio, da Eureca!

Fonte : Divulgação