Empreendedorismo femininno

Franquia possibilita que brasileiros com pouco capital conquistem a tão sonhada autonomia

 images-3

Muitos brasileiros desempregados estão aproveitando as verbas que recebem na rescisão para abrir o próprio negócio. É justamente esse perfil de empreendedor que a rede de franquias itinerantes Miss Pink – www.misspinkbrasil.com.br – têm atraído. A marca de cosméticos, que começou no franchising em 2013 com um formato móvel que possibilita que o franqueado trabalhe onde desejar,  já está presente em boa parte do Brasil com 70 unidades.  Em 2015, a Miss Pink faturou R$3 milhões e este ano a previsão é alcançar receita de R$5 milhões.  Entre as franquias da área de beleza do país, foi a única que não fechou unidades desde a sua fundação, diferentemente de outras grandes redes do mercado que chegaram a fechar centenas de pontos de venda.

Formato diferenciado      images-2

Criada pela paranaense Maitê Pedroso, a rede dispensa um ponto fixo comercial. A ideia do formato surgiu quando a empresária teve uma experiência frustrante no varejo com duas unidades próprias em shopping. “ Percebi que o custo era muito alto, então resolvi apostar em um modelo de negócio itinerante que permitisse mais liberdade ao franqueado e menos custos” , explica. Para atrair quem quer ter um negócio próprio e tem pouco dinheiro, a Miss Pink parcela o investimento inicial de R$25 mil em até 12 vezes no cartão de crédito

Renda extra   images-4

Entre os franqueados da Miss Pink, há também pessoas que atuam em outras áreas e encontram no modelo flexível uma opção para complementar a renda, como é o caso da médica Simone Santos, que trabalha como plantonista em hospitais e, em abril deste ano, para conseguir um dinheiro extra, adquiriu uma franquia da Miss Pink.

O setor de beleza e cosméticos também é um dos pontos fortes da marca, já que atualmente é um dos segmentos mais promissores para investimentos. Para Maitê Pedroso, o motivo é claro.  “Ninguém abre mão de cuidar da aparência. As pessoas que aderem a franquia têm o privilégio de atuar em um setor blindado contra qualquer crise. Nossa meta é fechar 2016 com 100 franquias vendidas”.

Raio-x da Franquia

Segmento de atuação: Esporte, saúde, beleza e lazer

Fundação: 2013

Início do franchising: 2015

Número de unidades: 65

Investimento inicial: R$ 25 mil

  • Taxa de franquia: R$ 15 mil
  • Expositor/loja: R$ 7 mil
  • Estoque de produtos: R$ 3 mil

Capital de giro: não é necessário

Royalties: R$ 900 por ano e apenas após os 12 primeiros meses

Taxa de publicidade: não cobra

Nº mínimo de funcionários: não tem funcionários

Faturamento médio mensal: média de R$ 15 mil

Lucro líquido médio mensal: de 30% a 50%

Prazo de retorno: de 3 a 12 meses

Prazo de contrato: 12 meses

Site: www.misspinkbrasil.com.br

E-mail: euquero@misspinkbrasil.com.br

Divulgação

Anúncios
Empreendedorismo femininno

Constelações Familiares

.As Constelações Familiares Sistêmicas são um método  desenvolvido pelo filósofo, teólogo e terapeuta alemão Bert Hellinger, que facilita trazer à superfície dinâmicas ocultas no inconsciente do sistema familiar. Uma abordagem que nos permite reconhecer os sentimentos adotados e atitudes que nos aprisionam e que foram assumidas inconscientemente. Nos dá uma visão profunda das relações e serve como base de ações, provocando intervenções, transformações e soluções no âmbito empresarial, educacional e familiar.

A Formação se baseia nos princípios sistêmicos de Bert Hellinger e também de Virginia Satir, Ursula Franke, Brigitte Champetier de Ribes e Joel Weisser e compõe-se de 7 módulos  de 3 dias cada (de sexta a domingo) com intervalo de 2 a 3 meses entre eles com duração de 1 ano. Início 04 de novembro de 2016.

Os módulos são vivenciais, onde a teoria é aplicada através de exercícios sistêmicos e incluem meditações, constelações e iniciação ao Movimento Autêntico.

 

PROFESSORAS

Debora Ganc

perfil-debora-ganc

 

Membro da HellingerSciencia, trabalha com as Constelações Familiares segundo Bert Hellinger desde 2004.

Formação Sistêmica Fenomenológica:com Renato Shaan Bertate – São Paulo,e pela Hellinger®lebenSchule na Alemanha.

Formada em Constelações Sistêmicas Organizacionais e Consultoria Sistêmica e Coaching Sistêmico pelo Instituto Infosyon – Alemanha.

Participa de treinamentos com o próprio Bert Hellinger desde 2002 e aplica suas técnicas em atendimentos individuais e em grupos.

Formada em Psicoterapia intensiva e Gestalt no Programa SAT de Claudio Naranjo – Instituto Gestalt Firenze desde 1992.

Treiner em PNL – Sociedade Brasileira de Psico-Neuro Lingüística

Movimento Autêntico com Betina Waissman (Espanha).

Terapia Transgeracional com Alberto Boarini

Especialista e Mestre em Novas Constelações Quânticas pelo Instituto de Brigitte  Chapetier de Ribes, Espanha.

 

Terapia Familiar – O Processo de mudança segundo Virgínia Satir – (em formação)

Irene Cardotti

11218471_10206178859924431_8463224343031640704_n

Psicoterapeuta, individual, de grupo, adolescente, adulto, casal, familiar. Terapeuta Familiar Sistêmica e Consultora Organizacional. Psicoterapia em reabilitação ocular (Cinesioterapia Ocular). Professora de visão do método Self-Healing de Meir Schneider pelo School for Self- Healing, São Francisco – CA ;

Psicoterapeuta corporal formada pelo International Institute for Bioenergetic Analysis, New York, NY (CBT) e pelo International Institute for Byosynteses, Zurich (CBI), especialista em Bioenergética e supervisora.

Formada pela primeira turma de Bert Hellinger e sócia- fundadora da Associação Bert Hellinger de Constelação Familiar e  Formação em Helling Science.

Psicodramatista;

Formação em Consultoria Sistêmica Empresarial, Coaching e Constelações Organizacionais;

Formação em TRE e EMDR;

Formação com Virginia Satir em Constelações Familiares;

Especialista e Mestre em Novas Constelações Quânticas pelo Instituto de Brigitte  Chapetier de Ribes, Espanha.

Informações:

http://terapiasistemica.com.br/services/formacao/

 

 

 

 

Empreendedorismo femininno

20% das mulheres entre 18 e 64 anos estão prestes a começar o próprio negócio

 

 

 Um  estudo, realizado pelo SEBRAE, mostra o recente avanço da presença feminina nos negócios.

O percentual de mulheres empreendedoras (36,4%) é inferior ao de homens (42,4%). No entanto, entre as pessoas que estão preparando-se para abrir um negócio à diferença é mínima cerca de 20% das mulheres entre 18 e 64 anos estão prestes a começar o próprio negócio, em contrapartida 21,6% dos homens da mesma faixa-etária.

“Com o cenário atual na economia as mulheres tiveram que encontrar outra forma de renda para ajudar em casa. E muitas conseguem empreender através da Internet, elas vendem jóias, comida, brigadeiros, lembranças para festas, etc”, destaca a também empreendedora da Francisca Joias, Sabrina Nunes. IMG_1587.jpg

A empresária, assim como muitas mulheres, começou a empreender pela internet e ao perceber a grande demanda resolveu investir em um e-commerce, que hoje conta com 12 funcionários full time, além das 475 revendedoras espalhadas pelo Brasil.

Sabrina apostou em um setor que segue aquecido em meio à crise. Segundo o estudo os segmentos de moda, culinária e artesanato são as principais apostas de mulheres que se tornam microempreendedoras. “Empreender é uma grande responsabilidade, pois nos comprometemos com outras pessoas”, menciona a empresária.

Nunes também conta que apenas tirar a ideia do papel não adianta é necessário pesquisar o mercado, e após o empreendimento ser oficialmente aberto é fundamental fidelizar os clientes.  “Aqui [Francisca Joias] nós pensamos como os consumidores e por isso nos preocupamos na compra como forma de experiência. Mandamos as jóias em uma caixa personalizada com fragrância exclusiva da rede e um bilhete carinhoso agradecendo a aquisição”, finaliza.

leiza_mindsOutra empreendedora que se comprometeu com a educação de milhares de crianças, jovens e adultos é a Leiza Oliveira, CEO da rede especializada na língua inglesa Minds. Leiza é natural de Maringá e fundou a Minds em 2007. Hoje opera com mais 70 escolas em todo país e traz na bagagem a experiência de sempre ter exercido funções nas áreas educacionais.

A presidente da Minds frisa que para manter o sucesso das escolas é preciso administração e acima de tudo tecnologia. “ A Minds desde 2007 traz para as salas de aula, e fora delas, o que há de mais moderno. Tudo isso facilita a captação do inglês. Dessa forma, o nosso aluno vai além dos livros, ele leva o conhecimento para a vida”, comemora Leiza.

Mesmo com o aumento na taxa de empreendedores no Brasil é preciso saber fidelizar os clientes e fornecedores, além de controlar gastos e investimentos a curto e longo prazo para manter o negócio ativo.

 

Divulgação

 

 

 

 

 

Empreendedorismo femininno

As residências estudantis são realidade no Brasil

images

Muitos estudantes brasileiros quando chegam à época de decidir o curso superior, encaram um grande entrave – fazem o curso dos sonhos em outra cidade ou permanecem na casa dos pais e adiam o sonho de estudar. O motivo disso é que no Brasil não existe uma politica de habitação voltada para atender essa demanda – estudantes que passam no vestibular, longe de suas cidades de origem.

Foi pensando nisso que Juliano Antunes e Celso Martineli fundaram a ULIVING Brasil, empresa especializada em desenvolver e administrar residências estudantis no Brasil, em 2013. “Não havia muita opção. Ou o estudante morava em uma república, comum entre as universidades ou com a ajuda dos pais e de um fiador, alugava um imóvel e arcava com as despesas” – explica Juliano Antunes, CEO da empresa e um dos idealizadores da empresa.

A ULIVING conta hoje com dois prédios e um total hoje de 133 camas – 63 em Sorocaba e 70 images-1em São Paulo, na região da Bela Vista. Os prédios têm áreas comuns que promovem a convivência e funcionam pelo modelo de contratos de hospedagem. “Criamos salas de estudo inspirados em espaços de coworking, pois queremos incentivar a inovação e promover a integração entre os moradores. No valor pago mensalmente, está incluído as despesas com água, luz e internet WiFi. Também oferecemos cozinha equipada e lavanderia coletiva. Todas as áreas comuns são espaços compartilhados e os quartos são totalmente mobiliados. Também há disponíveis serviços pay per use” – explica o CEO.

A proposta da empresa é proporcionar aos moradores um local de hospedagem e interação e diminuir a preocupação dos pais, que se sentem seguros com o modelo oferecido pela ULIVING. Segundo a empresa, a troca de experiências, as amizades, o apoio e o espírito de união entre eles é algo que cresce a cada semana e traz benefícios mútuos, pois ajuda a superar os desafios do dia a dia longe da família.img_5077

“Antes de executar nosso plano de residências estudantis, fizemos uma imersão no mercado europeu e americano para entender o modelo, e aplicá-lo no Brasil. Aqui temos um terreno fértil para crescer e os planos do governo para incentivar e promover a melhora da escolaridade entre a população é um bom incremento para a ULIVING” – conta Celso Martineli, VP de operações da empresa.

Na Europa e EUA, os estudantes vão para a faculdade e de lá criam startups ou tem ideias para novos modelos de negócios. A ULIVING pretende ser um agente fomentador para a criação de ideias e negócios interessantes também. A empresa começou com capital próprio e já recebeu um aporte de R$ 340 mil de investidores anjos. Hoje, com projetos em andamento com investidores e construtoras, a empresa tem a expectativa de que em cinco anos atinja 5 mil camas em SP, no interior e leve essa ideia para outros estados.

 

Divulgação