Empreendedorismo femininno

Bate Papo sobre Inclusão

Bate papo com Açucena Calixto, Diretora da SUPORTE Assessoria e Consultoria Empresarial e Presidente do Instituto Pró-Cidadania de Desenvolvimento e Capacitação para Pessoas Especiais.

CROPPED-DSC08320

NM- O que significa inclusão?

É a garantia do direito de pertencer de qualquer indivíduo. É o resgate à cidadania através do trabalho e  participação na sociedade.NM

NM-  Com está a inclusão no Brasil?

Já esteve melhor. Com a crise econômica no país, a primeira atividade que as empresas deixam de fazer é o treinamento e a segunda é a contratação. Portanto, este foi um ano péssimo para a inclusão no país. Alguns dados:

População com deficiência no Brasil – Censo 2010 (IBGE)

45,6 milhões de brasileiros (23,9% do total da população) com algum tipo de deficiência – visual, auditiva, motora, mental ou intelectual

25,8 milhões são mulheres

19,8 milhões são homens

38,5 milhões de pessoas vivem em áreas urbanas

7,1 milhões em áreas rurais

Estado de São Paulo: 9,3 milhões

Dados do Ministério do Trabalho (2014)

381,3 mil pessoas com deficiência estão formalmente empregadas no Brasil, correspondendo a apenas 0,77% do total de postos no País X 49,2 milhões de cidadãos brasileiros sem deficiência que possuem vínculo empregatício.

De acordo com o levantamento da RAIS – Relação Anual de Informações Sociais de 2014, de um total de 381,3 mil pessoas com deficiência com carteira assinada:

 deficientes físicos representam mais de 50,4%, somando 192,4 mil trabalhadores empregados

 pessoas com deficiência auditiva são 78,4 mil ou 20,6% do total

 pessoas com deficiência visual somam 39,6 mil, o equivalente a 10,4%

 pessoas com deficiência intelectual representam 29,1 mil, o que corresponde a 7,6% do total

 pessoas com deficiência múltipla são 6,7 mil, o mesmo que 1,7%

 reabilitados são 35,1 mil, somando 9,3% do total

Ainda segundo a RAIS, os rendimentos médios das pessoas com deficiência, em 2014, foram de R$ 2.304,26, valor menor que a média dos rendimentos do total de vínculos formais. Quando a questão é o gênero, os dados apontam que 245,7 mil postos de trabalho eram do sexo masculino e 135,6 mil postos do feminino.

NM-   Quais são os tipos de de Inclusão que vocês trabalham?

Trabalhamos com todos os tipos e graus de deficiência para  a inclusão no mercado de trabalho e na sociedade. Também realizamos atividades de inclusão para excluídos em geral, 4º. Setor, ou seja, diabéticos insulino- dependentes, cardíacos, obesos, safenados, marcapasso, vitiligo, negros, queimados e outros.

Instituto Pró-Cidadania de Desenvolvimento e Capacitação para Pessoas Especiais

Sediado em São Paulo (SP) e com 26 anos de atuação, o Instituto Pró-Cidadania é uma organização sem fins lucrativos e sem auxílio do Estado, que promove gratuitamente a qualificação e o desenvolvimento profissional das pessoas com deficiência, proporcionando a sua integração e inclusão no mercado de trabalho e, consequentemente, o desenvolvimento econômico e social dessa população. Desenvolve projetos de inclusão e acessibilidade da pessoa com deficiência para empresas, escolas e associações, além de realizar treinamentos específicos para profissionais de RH, recrutadores e gestores em geral. Mantém ativo um banco de dados para recrutamento e seleção de profissionais com deficiência.

 

Anúncios
Carreira, Empreendedorismo femininno, Eventos

Fórum Mulheres em Destaque enfatiza os benefícios da Liderança Feminina

Acontece  nos dias 25 e 26 de novembro acontece a 5ª edição do Fórum Mulheres em Destaque, no FECOMÉRCIO, em São Paulo. Os principais executivos do mercado estarão reunidos com líderes de grandes empresas e organizações para debater a importância das mulheres nas posições de liderança.

Com o objetivo de apoiar mais empresas a construírem ambientes voltados para a ascensão feminina, o Fórum que foi a primeira iniciativa focada em liderança feminina no Brasil, é considerado hoje a maior plataforma de conteúdo sobre o tema. O evento apresenta os processos que as organizações precisam adotar para implementar e consolidar seus programas de diversidade de gênero, além de cases de sucesso.

A edição deste ano traz com exclusividade os Indicadores de Desempenho e Mensuração de Resultados do Movimento Mulher 360 e a apresentação completa da Pesquisa da McKinsey – Closing the Gender Gap. Um dos destaques é o painel “Visão da Alta Liderança”, que acontece no segundo dia do fórum (26) e conta com o ponto de vista masculino de grandes executivos sobre a importância do apoio da alta liderança na disseminação da cultura de mulheres em cargos de liderança e em programas voltados para a diversidade nas empresas.

Entre os temas inovadores da 5ª edição do Fórum está o Storytelling como ferramenta para formar líderes em palestra ministrada por Leandro Waldvogel, professor de storytelling, gestão de marcas e inovação no MBA da FIA USP. Outro momento importante será a palestra “Mindset da Liderança Feminina”, com a neurocientista Solange Aguilera, que apresentará como pequenas atitudes na maneira de pensar podem trazer grandes resultados na carreira dos líderes.

Entre os palestrantes confirmados estão Rachel Maia, CEO da Pandora; Andrea Alvares, diretora geral da categoria de Salgados para a América do Sul, Central e Caribe da Pepsico Brasil, a jornalista Monica Waldvogel, Fabricia Abreu, Diretora de RH da Elektro; Andrea Weichert, Sócia da EY; Sandra Martins, Environmental, Health and Safety Director Latin America e Daniela Grelin, Corporate Public Affairs Leader, ambas da Dow Química; Marcelo Arantes de Carvalho, vice-presidente de pessoas, organização & suprimentos da Braskem; Adriana Carvalho, assessora para empoderamento das mulheres da ONU Mulheres; Tatiana Trevisan, gerente de sustentabilidade do Walmart e Thomas Eckschmidt, CEO do Instituto Capitalismo Consciente Brasil.

cris kerr

“A realização desse evento pelo quinto ano consecutivo é a consolidação do Fórum Mulheres em Destaque como referência na questão da liderança feminina no Brasil. O evento trata do fortalecimento da ascensão feminina nas organizações e este ano estamos focando a importância de trazer os líderes masculinos para essa conversa, já que 92% dos CEOs são homens. A visão masculina é imprescindível para que as iniciativas em prol da equidade de gêneros façam parte da estratégia da empresa e sejam bem-sucedidas”, declarou Cris Kerr, idealizadora do Fórum e diretora executiva da CKZ Eventos.

Fonte – D|ivulgação

 

Empreendedorismo femininno

FÓRUM MULHERES EM DESTAQUE DISCUTE PESQUISA MCKINSEY SOBRE LIDERANÇA FEMININA NAS EMPRESAS

O 5º Fórum Mulheres em Destaque traz dados da pesquisa da Mcksinsey & Company para que, junto com todas as participantes, seja possível criar um espaço participativo para discutir o que pode ser incorporado nas estratégias organizacionais a partir dos dados apresentados.
Desde 2007, a McKinsey faz estudos para aumentar o número de mulheres em cargos de gerência sênior. Em uma série de relatórios, ela mostra que as empresas podem se beneficiar das habilidades e insights femininos na administração. De fato, as pesquisas mostram um melhor desempenho financeiro em companhias com maior proporção de mulheres em cargos de liderança.
Apesar da grande proporção de mulheres diplomadas na América Latina e o número significativo das que conseguem entrar no mercado de trabalho, poucas chegam ao topo. Nas 345 empresas pesquisadas no último estudo, as mulheres ocupam apenas 8% das posições no comitê executivo e 5% dos cargos de diretoria.
Para descobrir como aumentar a diversidade de gênero em cargos de liderança, 547 gerentes de nível médio e superior responderam uma pesquisa online e 40 CEOs e altos executivos foram entrevistados. Assim foi possível entender melhor as barreiras e o que as empresas podem fazer para removê-las. Muitas companhias já identificaram as dificuldades, porém as ações ainda não são prioridade das suas estratégias.
O relatório descreve um caminho claro, destacando elementos críticos de programas destinados a aumentar a diversidade de gênero. As barreiras para o progresso ainda são muitas, como as crenças e preconceitos culturais predominantes na região. Mas se a empresa conseguir sucesso na contratação, retenção e promoção das mulheres em altos cargos, alcançará um desempenho melhor.
Fonte: Divulgação

k15314563