Empreendedorismo femininno

Empreendedorismo Feminino – Workshop

Captura de Tela 2015-07-27 às 12.25.53Você já conhece nossos workshops? Se ainda não conhece, precisa conhecer. É uma forma rápida e eficiente de passar conhecimento sobre determinados assuntos para grupos de pessoas que, trabalhando juntas, constroem suas próprias soluções para questões do dia-a-dia.

O primeiro do qual eu gostaria de falar trata de empreendedorismo feminino. É um encontro de 4 horas, que traz à luz e à discussão elementos básicos para quem quer iniciar essa aventura complexa que é empreender.

Captura de Tela 2015-07-27 às 12.26.21Nosso objetivo nesse workshop é apresentar dados sobre a presença das mulheres no empreendedorismo do Brasil e as grandes dificuldades que elas têm que enfrentar. Somado a isso, promovemos uma discussão sobre como resolver as questões mais encontradas, apresentando dicas e colhendo depoimento das participantes.

É um trabalho a ser desenvolvido com mulheres que desejam iniciar ou melhorar seus negócios. As participantes encontram aqui respostas às questões básicas que precisam enfrentar a cada dia.

O trabalho se desenvolve com atividades expositivas e vivências que ajudam a fixar conceitos, dão a oportunidade para cada uma trazer suas próprias demandas e buscar em conjunto soluções específicas para seus negócios.

Se você tiver um grupo interessado, entre em contato aqui, deixe seu telefone ou email que responderemos rapidamente.

Anúncios
Empreendedorismo femininno

REDES DE FRANQUIAS CRESCEM 127% NO BRASIL

Com crise econômica, rede de franquia torna-se opção favorável ao mercado de trabalho.

imagesDevido à crise econômica estar afetando o mercado de trabalho com demissões em massa, muitos brasileiros exploram novas opções de rendimento como abrir seu próprio negócio – e as redes de franquias vem sido uma alternativa assertiva para empreendimento. Só no ano passado foram inauguradas duas franquias a cada hora, totalizando mais de 220 mil redes. Com esse aumento o Brasil ficou em segundo lugar no ranking, perdendo apenas para a China e a frente dos Estados Unidos, de acordo com estudos da consultoria Rizzo Franchise. Atualmente as franquias no Brasil faturam cerca de R$ 1 bilhão todo dia e tiveram um aumento, nos últimos dez anos, de 127%.
No entanto, apesar desse crescimento, muitos empresários que não alcançaram o retorno esperado acabaram encerrando seu negócio antes de completar um ano, totalizando cerca de 6.550 mil franquias no ano passado. Entretanto, como explica a consultoria Rizzo Franchise, as franquias não servem para investidores, mas sim, para quem tem presença e atuação diária no negócio.
A franqueada WSI, por exemplo, líder no ramo de marketing digital, é um dos grandes cases de sucesso. A franqueada é de origem canadense e está distribuída em mais de 80 países e com mais de 1.200 escritórios.
Além de gerar novos negócios, as redes de franquias possibilitam oportunidade de trabalho para quem precisa, constituindo mais de 155 mil empregos em 2014.
“As redes de franquias podem ser uma saída oportuna para brasileiros idealizarem seus negócios e ao que tudo indica, essa nova tendência deve permanecer para os próximos anos. “ afirma Marco Marco, CEO da WSI Marketing na Internet.
 download

Fonte: WSI Marketing na Internet

Empreendedorismo femininno

VALE A PENA TER UM SÓCIO? O QUE AVALIAR ANTES DE SE DECIDIR POR UMA SOCIEDADE, por Comunicação Conectada

Captura de Tela 2015-07-21 às 14.37.05Empreender tem sido cada vez mais a opção dos brasileiros como alternativa de plano de carreira e de vida. Mas transformar uma idéia em negócio traz consigo inúmeros desafios que envolvem planejamento e muita dedicação. Por isso, muitos empreendedores optam por seguir este caminho com um ou mais sócios com quem possam dividir investimentos, responsabilidades e, assim, dar mais oportunidades para que a nova empresa seja bem-sucedida.

Captura de Tela 2015-07-21 às 14.37.20Para André Galassi, especialista em gestão da plataforma de negócios Contaty, uma sociedade bem feita pode ser o caminho para um empreendimento de sucesso. Por outro lado, quando os sócios não se entendem no dia a dia, mesmo uma excelente ideia pode estar fadada ao fracasso.

O empresário Dominic MacDermot já teve experiências positivas e negativas com sociedades. “Participei de uma joint venture onde o objetivo era interessante para os três parceiros. Cada um investiu em sua área de atuação, mas quando os resultados não obtiveram o êxito previsto, a sociedade entrou em colapso. Ficou evidente que o problema tinha sido a falta de entendimento entre as partes no momento de se estabelecer a parceria. Nós esperávamos o sucesso, mas nunca determinamos um prazo para que o investimento desse certo, nem o valor que cada um estaria disposto a investir no projeto. Falhamos no planejamento e no alinhamento de expectativas. Hoje sou sócio de uma empresa de soluções tecnológicas, a Dax Tecnologia. A sociedade tem funcionado porque caminhamos juntos e alimentamos os sonhos com muito bom senso. Não concordamos em todos os detalhes do negócio, mas temos respeito e inteligência suficientes para aceitar e testar as propostas do outro”, conta.Captura de Tela 2015-07-21 às 14.38.01

Se você tem uma boa ideia e planeja abrir um negócio, mas não tem certeza se a sociedade é a melhor alternativa, André Galassi destaca seis pontos fundamentais que você deve considerar:

1. Objetivos em comum
Querer caminhar na mesma direção é fundamental para uma sociedade. Todo negócio permite a escolha de diversos caminhos e é fundamental que os sócios tenham a mesma visão do que esperam do empreendimento.

2. Competências Complementares
Ninguém é bom em todas as áreas. Escolher sócios que tenham competências complementares a sua permite que seu negócio se desenvolva com propriedade em diferentes áreas, e dá a ele mais oportunidades de crescimento.

Captura de Tela 2015-07-21 às 14.38.293. Disposição para correr os riscos necessários
O planejamento é a base de um negócio bem-sucedido, mas em muitos momentos também é preciso arriscar para que o empreendimento cresça. Nesta hora, é importante que os sócios tenham a mesma disposição para correr os riscos necessários em prol do crescimento. Isso inclui, dependendo da área de atuação, a necessidade de novos investimentos e contratação de pessoal, por exemplo.

4. Humildade para ceder
Ninguém sabe tudo o tempo todo. Em uma sociedade é preciso saber que ceder não significa perder poder, mas reconhecer que nem sempre as melhores ideias partem de nós e, nem por isso devem ser deixadas de lado.

5. Dividir os ganhos
Pode parecer óbvio, mas muito empreendedor gosta da ideia de ter sócios quando o assunto é dividir investimentos e responsabilidades, mas não acha tão agradável ter que repartir os lucros. Ter um bom sócio é contar com alguém na hora das dificuldades e, claro, de compartilhar os resultados positivos.

Captura de Tela 2015-07-21 às 14.42.586. Ter os mesmos valores
De nada adianta ter objetivos em comum, competências complementares e todos os tópicos anteriores, se os sócios não compartilharem dos mesmos valores. No final das contas, todas as grandes e pequenas decisões que envolvem um negócio passam pela forma como cada um entende a vida e, se os valores pessoais não forem os mesmos, será impossível manter a sociedade funcionando de forma harmônica e produtiva.

André Galassi complementa: “Quem opta por não ter sócios, mas apenas funcionários para trabalhar em sua empresa, tem a liberdade de tomar todas as decisões que envolvem o negócio e não precisa dividir os lucros, mas se tiver algum problema, encontrará, do outro lado pessoas que estão apenas envolvidas com o processo, sem comprometimento.
Ter um sócio significa contar com alguém comprometido com o negócio, uma pessoa que está no mesmo barco e rema junto, para que ele não afunde, mas alcance o porto do destino final. Pode não ser uma viagem fácil, mas quando a sociedade é harmônica, dois avançam mais rápido e com mais força do que apenas um. O empreendedor precisa colocar na balança e pesar os prós e contras de cada modelo, para decidir o que se encaixa melhor no seu negócio”.

Fonte – Comunicação Conectada.