Empreendedorismo femininno

As donas do negócio

A Revista Época de 4 de março traz um Especial – O Futuro das Mulheres – com um extenso estudo sobre as mulheres brasileiras. O material está muito interessante e vem confirmar uma tendência já instalada no País de ter cada vez mais mulheres não apenas no mercado de trabalho, mas em posições de liderança e comando. Um destaque foi dado às empreendedoras do sexo feminino e o comportamento desse segmento.

Olhe, o mundo é seu!

Você sabia que as empreendedoras brasileiras já são 53% dos 18,8 milhões de brasileiros que decidiram enfrentar a carreira de “patrão”? Não é fantástico? Mulheres tomando as rédeas de seus negócios, comandando equipes mistas, negociando em inúmeros ambientes antes dominados pelos homens?

Na reportagem, Enio Pinto, gerente de Inovação do Sebrae Nacional comenta que, segundo a sua experiência, as mulheres são mais cuidadosas que os homens ao fazerem negócio. Também que elas analisam a planejam melhor as oportunidades antes de iniciar qualquer coisa, enquanto são menos imediatistas, têm mais persistência para esperar o investimento gerar lucro.

Por serem melhores analistas antes de iniciar suas empreitadas, fazem pesquisas de mercado mais detalhadas, buscam o melhor segmento para se lançar, são mais focadas.

Elas também têm aproveitado melhor os bons momentos da economia brasileira. Afinal, segundo um estudo do IBGE e do Instituto Target Group Index, pelo menos 95% dos brasileiros ganhou poder de compra nos últimos anos. Isso significa 95 milhões de pessoas com maior poder aquisitivo, comprando produtos e serviços que não compravam até um tempo atrás

O mais interessante de tudo, entretanto, é que a Consultoria Global Markets, num levantamento feito há dois anos atrás, constatou que as mulheres costumam reinvestir na sociedade a renda gerada pelas empresas muito mais que os homens. Gastam muito mais com a educação e saúde dos filhos, “brindando o país com profissionais mais bem formados, cujas necessidades gerarão consumo e movimentarão a economia”. O estudo sugere até que um número maior de empreendedoras geraria um crescimento anual extra de 0,7% no PIB brasileiro e, em consequência, até 2030 a renda per capita do País cresceria 9,1%.

Essas são as razões de bancos internacionais como o Goldman Sachs, ao perceber o potencial representado pelas empreendedoras brasileiras, iniciarem ações efetivas de apoio. Uma delas é o programa 10.000 mulheres, parceria do Goldman Sachs com a Fundação Getúlio Vargas e a IE Business School, lançado em 2008. Esse projeot prevê um investimento em capacitação de US$100 milhões em cinco anos em países emergentes, entre eles o Brasil. Em São Paulo a FGV é responsável pelos cursos gratuitos e em Belo Horizante a Fundação Dom Cabral está encarregada do programa.

Mulheres que venceram na difícil tarefa de empreender, gerir seus negócios e trazer lucro para si e para suas famílias estão hoje orgulhosas de si mesmas, sentindo-se felizes, realizadas e poderosas.

Anúncios
Empreendedorismo femininno

Entrevista com Ana Fontes após o lançamento da Rede Mulher Empreendedora (já publicado em Executivas e Chiques)

Claudia Reis, jornalista, assessora de imprensa e parceira do Executivas & Chiques, fez essa entrevista com Ana Fontes, que é publicitária com pós-graduação em marketing e várias outras especializações. Ana é casada e mãe de duas filhas. Durante mais 20 de anos trabalhou no mundo corporativo em grandes multinacionais. Há dois anos tornou-se emprendedora, sócia da AG4 Global Services detentora do ElogieAki http://www.elogieaki.com.br/ o primeiro portal de elogios do Brasil e do Rede Mulher Empreendedora www.redemulherempreendedora.com.br .

O que é a Rede Mulher Empreendedora?

É uma plataforma de serviços que tem como objetivo unir e apoiar as mulheres empreendedoras de todo país no desenvolvimento do seu negócio.

Fale sobre a Rede Social

A exemplo de muitas outras redes sociais existentes, a Rede Mulher Empreendedora www.redemulherempreendedora.com.br prioriza a integração, o conhecimento e a troca de informações entre as mulheres empreendedoras de todo Brasil. As participantes se cadastram, publicam um perfil do seu negócio, acessam dicas, notícias importantes, participam de fóruns de discussões.

E o Espaço Colaborativo?

Utilizando um misto do modelo de CoWorking e Incubadoras,  é um espaço de trabalho com toda infraestrutura de um escritório como acesso a internet, estações de trabalho, auditório, salas de reuniões, terraço de convivência, sala de café e almoço. Além disto, conta ainda com ferramentas de apoio ao negócio da mulher como uma rede de fornecedores e serviços, além de uma seleção de negócios com ramos diferentes para proporcionar o apoio mútuo.

Quais  os desafios que a mulher encontra na hora de abrir seu próprio negócio?

As mulheres, ao decidir abrir um negócio, conhecem bem o assunto do negócio ou seja a parte técnica, e aí surgem as dificuldades nas áreas administrativa, financeira e comercial e de comunicação que são os maiores para as mulheres empreendedoras. Hoje existem cursos de capacitação mas ainda não conseguem atender à demanda pelo volume crescente de empreendedoras.

A burocracia e os impostos é claro que também são entraves aos pequenos negócios, haja vista que as pequenas empresas arcam com a mesma carga tributária das grandes corporações.

É importante saber que ser  empreendedora tem uma grande vantagem da flexibilidade de horário, mas certamente você trabalhará mais do que em grandes corporações.

E as expectativas?

O Brasil está num ritmo de crescimento muito bom, a economia vai bem, o consumo em alta e isto é claro, é um ambiente propício para surgimento de negócios de oportunidades e também paro o desenvolvimento de negócios existentes.

Quais  as dicas  e sugestões na hora de investir?

Se você vai abrir um negócio, pesquise bastante na internet é claro, mas também pesquise fisicamente, vá gastar sola de sapato e conhecer alguém que já tem o negócio, não se preocupe em não contar a idéia, o mais importante é entender claramente o objetivo do negócio que você quer abrir. Faça contas, fale com possíveis clientes, troque idéias com amigos e familiares, certamente você estará melhor preparada depois destas rodadas de conversa.

O Brasil tem mais de 7 millões de mulheres empreendedoras. Necessidade ou oportunidade?

Hoje a grande maioria é por necessidade para complementar a renda do companheiro ou para sustentar mesmo a família. Porém os negócios com maior chance de sucesso são aqueles que aproveitam uma oportunidade atendendo uma necessidade do mercado e estes também estão crescendo.

Agradecemos muito à Ana Fontes e à Cláudia Reis por partillhar essa conversa com Executivas & Chiques.